El Globo de Juan ' 09

ORGANIGRAMA LITERÁRIO MULTICAÓTICO

O sentido de um poema pode-se modificar completamente dependendo da ordem das palavras que o compõe. Com as mesmas simples palavras, podem-se construir diversas poesias. Assim, para além do escritor que apresenta as palavras, também o leitor/espectador/ouvinte pode construir o seu poema. Este terá um papel tão activo como o do artista que escolhe as palavras. Seguindo as palavras de Eugénio de Melo e Castro, O trabalho criador do artista experimental é precisamente criar estruturas atomizadas de grande entropia, pois quanto maior for a entropia dessas estruturas maior será e mais vasta será a informação possível – baseada no cálculo das probabilidades. O utente do poema que se aperceba das informações de que for capaz.
Existe nestas estruturas abertas, desvalorizadas de organicidade e coesão, um maior envolvimento do sentido crítico-perceptivo do leitor, uma vez que é este que dará significado às palavras expostas. O trabalho final, para além das palavras, será, ele próprio uma obra de arte, isto é, valorizar-se-á também a plasticidade da poesia, pois entende-se a linguagem como corpo, matéria. É uma escrita que se cria na exacta medida em que se faz.



Um pequeno vídeo do Organigrama Poético...


video

Sem comentários:

Enviar um comentário